terça-feira, 15 de dezembro de 2009

XXI

Cá estou eu na penúltima aula de GPC onde tudo acontece. E hoje temos o professor a falar do Garganta Funda.

Mas nem isso me prende hoje. Nem o espanto do professor por a primeira ideia que me veio à cabeça quando se falou em "The Good, The Bad and the Ugly" ter sido Enio Morricone.

Então vamos passar ao que me traz cá hoje. A minha reflexão é sobre pessoas.

Não há sensação pior do que sentir que algo nos está a escapar por entre os dedos e não sabemos exactamente porquê ou o que fazer para o evitar. Infelizmente, e de um dia para o outro, isto aplica-se a mais situações do que eu poderia imaginar. O maior erro é tomarmos algo por certo, é sentir que somos parte de algo quando na realidade não somos.

Ignorance is not a bliss.

2 comentários:

  1. Curioso. Ainda ontem à noite estava exactamente a pensar sobre uma coisa parecida. A conclusão a que cheguei é que não se trata de deixarmos de fazer parte de algo mas sim esse "algo" deixar de existir nos mesmos termos. Nada fica igual durante muito tempo e muitas vezes basta um toque de nada em alguma coisa para mudar muita, muita coisa.

    É bem verdade que nada pode ser tomado como certo. Mas de vez em quando há uma ou outra coisa que dura muito, muito tempo apesar de poder estar mais escondida. Basta procurá-la quando for preciso.

    ResponderEliminar
  2. Volta a escrever no blog. Eu tinha gosto em ler :(

    ResponderEliminar